‘Jessica Jones’: 2ª temporada se aprofunda na escuridão da personagem

Caio Delcolli
‘Que estuprador de sua parte’, diz a personagem a um homem insistente.

A câmera fotográfica de Jessica Jones mira em um jovem entregador de pizza à porta de uma cliente. Ao abri-la, a mulher o agarra e beija — nisso, a protagonista tira fotos de ambos e logo em seguida as mostra para a dona da pizzaria, que provavelmente também é esposa do rapaz. Ela começa a chorar. "Dureza. Aceito dinheiro ou cheque", diz Jessica, secamente. A mulher pede à personagem que o mate. Ela se nega a fazer isso. A conversa fica tensa. Termina com Jessica amassando o encosto de metal de uma cadeira com a mesma facilidade que você amassaria uma latinha de Coca-Cola.

Vivida por Krysten Ritter, a personagem-título da série NetflixMarvel volta para uma segunda temporada quase dois anos e meio após estrear e, logo de cara, cativar milhões de espectadores, o que é bastante revelador a respeito da personagem.

Jessica Jones é beberrona, rabugenta e temperamental, mas os fãs devem ter se identificado de alguma maneira com o que há sob isso tudo. Jessica é alguém com sérias dificuldades de se conectar à outras pessoas, está presa a traumas e parece estar revoltada o tempo todo.

"Ela ainda está bastante puta, bebendo e sendo tão cuzona quanto sempre — do jeito que nós gostamos dela", contou a atriz ao Rotten Tomatoes. "A personagem reverbera entre as mulheres em todo lugar, sejam outras sobreviventes de abuso ou apenas mulheres empolgadas por ter uma personagem feminina durona que não é loira e linda. Eu sinto isso na rua, então é bastante gratificante para mim."

No aguardadíssimo novo ano da série, a personagem se vê em uma situação inusitada. No final da primeira temporada, ela quebra o pescoço de Kilgrave (David Tennant), seu abusador e estuprador do passado, e em Os Defensores, se une a Luke Cage, Punho de Ferro e Demolidor em uma tentativa de impedir uma catástrofe em Nova York. Agora ela é conhecida na cidade; as pessoas a confundem com "super-vigilante" e "heroína", embora tudo que ela queira é continuar isolada,...

Continue a ler no HuffPost