Jesus, do Flamengo, após ser condecorado em Portugal: 'Vamos ficar na história do Brasil'

Jesus diz que Liverpool é favorito contra Flamengo e comemora 'final mais importante da carreira'

Homenageado com a Ordem Infante D. Henrique pelo trabalho desenvolvido no comando do Flamengo, o técnico Jorge Jesus comentou sobre a premiação recebida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que fez de Portugal e dos técnicos portugueses um "hit" em terras brasileiras.

No discurso, Jorge Jesus chegou a fazer um paralelo com o português que descobriu o Brasil em 1500, Pedro Álvares Cabral.

- Portugal e o Brasil são dois países irmãos e ao longo destes sete meses vi que são dois países ligados pela história e cultura. Claro que não fomos nós que descobrimos o Brasil, foi Pedro Álvares Cabral, também não fui eu que dei a independência. Nós conquistámos dois títulos e vamos ficar na história do Brasil, vamos ficar ligado para sempre à nação do Brasil, a um clube com 50 milhões de adeptos. Esta é uma ligação histórica e daqui a 50 anos vão dizer que os portugueses foram os primeiros a conquistar a Libertadores e um campeonato no Brasil -, afirmou Jorge Jesus.

O técnico elogiou a forma com foi tratado em terras brasileiras. Com contrato até maio de 2020, Jesus já afirmou que pelo carinho com que foi tratado a decisão de permanecer no Flamengo por mais um período deve ser tomada em breve. O clube tenta ampliar o vínculo ao menos até o fim do ano. Novas conversas devem selar o acordo a partir da pré-temporada, que começa no dia 23 de janeiro.

- Senti isso e senti que representava um país e estou honrado e orgulhoso de ser português - afirmou Jesus.

Depois da cerimônia, o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) destacou o "trabalho fantástico" do técnico português no Brasil.

- Com competência e capacidade de trabalho, demonstrou que é possível. Um trabalho meritório à frente do Flamengo e reconhecido após sete meses de forma excepcional -, disse Fernando Gomes aos jornalistas em Lisboa.

Para Gomes, o trabalho de Jesus é a prova de que os técnicos portugueses seguem tendo um grande papel no cenário internacional.

- Ele é uma grande bandeira dos treinadores e do futebol português. Temos assistido a treinadores a darem cartas por esse mundo fora como o Nuno [Espírito Santo], o Marco Silva, o Paulo Sousa e André Villas-Boas, também o Mourinho que regressou a Inglaterra, o Vítor Pereira, o Paulo Fonseca, o Luís Castro ou Pedro Caixinha-, enumerou.