Jihadista 'cortador de mãos' condenado a 10 anos de prisão no Mali

(Arquivo) Aliu Mahamar Turé, no Mali

A justiça do Mali condenou nesta sexta-feira a 10 anos de prisão Aliu Mahamar Turé, conhecido como "o cortador de mãos" de Gao, cidade do norte do Mali controlada pelos jihadistas entre 2012 e 2013, quando era chefe da "polícia islâmica".

"A Corte declarou o acusado culpado de todas as acusações, mas com circunstâncias atenuantes, e o condenou a uma pena de 10 anos de prisão", informou o presidente do tribunal, ao final do julgamento em Bamako.

"Eu esperava uma pena maior. Os crimes de guerra foram provados (...) e é um julgamento para entrar na História. O tribunal considerou o acusado culpado", destacou um dos advogados das vítimas e presidente de Associação Malinense de Defesa dos Direitos Humanos (AMDH), Moctar Mariko.

Detido em dezembro de 2013 pelas Forças Armadas do Mali, Aliu Mahamar Turé, "ex-comissário islâmico" de Gao, a maior cidade do norte, era acusado de cortar a mão de supostos ladrões e de flagelar em público mulheres que não observavam o véu islâmico.