Jin do BTS envia aplicação ao governo coreano para cancelar o adiamento de seu serviço militar, diz site

O site de notícias coreano Yonhap News revelou nesta sexta-feira, dia 4, que Jin enviou uma aplicação à Administração de Trabalho Militar para cancelar o adiamento do seu serviço militar. O que significa que ele quer iniciá-lo o quanto antes.

A empresa responsável pelo grupo de K-Pop BTS, Big Hit Music, fez um anúncio em outubro de que todos os membros se alistariam no Exército, diferente do que apontavam os rumores sobre os artistas receberem isenção por mérito cultural. Jin, que completará 30 anos em dezembro, já deu o próximo passo.

O adiamento, possível graças à Lei BTS de importância artística e cultural, permite que os artistas possam iniciar seu tempo prestando serviços militares ao país depois dos 30, como foi revisado em 2020. Porém, Jin, decidiu acelerar o processo. De acordo com o site Korea Now, com a decisão de cancelamento, ele poderá se alistar em dezembro de 2022.

Fãs fizeram campanha pela isenção

Nos últimos anos muitas campanhas foram feitas pelos fãs chamando a atenção do governo coreano para a importância das conquistas do BTS e pedindo que fosse dado à eles isenção no Exército. Esta, que é algo dado a atletas e artistas premiados, bem como representantes da cultura coreana, poderia ser uma opção para o grupo não precisar pausar sua carreira.

O pedido, formalizado pelo Parlamento, seria votado até dezembro, como informou o ministro de Cultura, Esportes e Turismo no início de outubro. Porém, em nota publicada também no mês de outubro, a Big Hit Music apontou a vontade dos membros de servir ao seu país através do serviço militar. Anteriormente, já havia sido divulgado em uma live com os sete membros sobre eles estarem vivendo um novo momento na carreira, tendo mais atividades musicais solo do que em grupo.