JN quase ignora o ‘Bolsolão do WhatsApp’ e irrita internautas

Jair Bolsonaro. Foto: José Lucena/Futura Press

Reportagem da “Folha de S.Paulo” abalou as estruturas da campanha de Jair Bolsonaro (PSL) à presidência da República ao revelar que empresários amigos chegaram a comprar pacotes de até R$ 12 milhões de disparos massivos de mensagens de WhatsApp.

Entre os empresários que estariam irrigando a campanha de Bolsonaro de dinheiro está o dono da rede de departamentos Havan, Luciano Hang. A prática é ilegal e se for comprovada pela justiça pode até anular a candidatura do capitão reformado do exército. 

A revelação não foi bem recebida por apoiadores de Bolsonaro que passaram a perseguir e ameaçar a jornalista Patricia Campos Mello. A violência das ameaças foi condenada em nota pública do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo. “O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) repudiam as agressões e ameaças contra a jornalista Patrícia Campos Mello, manifestaram sua solidariedade à profissional e colocaram-se à sua disposição para tomar todas as medidas necessárias para defendê-la e para responsabilizar os autores desses atos de vilania”, diz trecho da publicação.

Apesar do peso da reportagem da “Folha de S.Paulo”, o Jornal Nacional tratou o assunto de modo bastante discreto e irritou alguns internautas no Twitter. Veja algumas reações abaixo: