João Amoêdo: A sabatina ao HuffPost Brasil e Yahoo! Notícias na íntegra

Grasielle Castro
Para o candidato do Novo à Presidência,

Candidato à Presidência pelo Novo, o empresário João Amoêdo tem sido um dos principais nomes da agenda liberal nestas eleições. Entre as promessas de políticas em prol de um Estado menor, entretanto, há uma proposta para segurança pública calcada em um maior encarceramento, com o objetivo de estimular a sensação de segurança.

Em sabatina do HuffPost Brasil e do Yahoo! Notícias, ele disse que, antes de estar preocupado com a quantidade de pessoas que estão no sistema, está preocupado com o índice de criminalidade

"Temos que lutar contra a violência, trabalhar mais na repressão e trabalhar na construção de presídios. Infelizmente, a gente vai ter que encarcerar mais para que o criminoso tenha a sensação de que o crime não compensa. Ao longo do tempo, você espera que esses números reduzam."

Assista à íntegra da sabatina:

Ao mesmo tempo em que defende mais prisões, ele reconhece que os presídios não são eficazes. "Vários presídios se tornaram lugares de treinamento de novos criminosos, dominados por organizações criminosas, como PCC, Comando Vermelho, esse tipo de coisa. A gente tem que fazer também no plano de segurança um combate forte ao crime organizado", emenda.

O candidato critica que, com um sexto da pena, o preso já pode ser colocado em liberdade. "A gente acha que esse processo deveria ser mais rígido", argumenta. Segundo ele, como falta dinheiro ao estado, o ideal seria fazer parceria com a inciativa privada para construção e administração de novas unidades.

Economia aberta

A principal bandeira do candidato, porém, é econômica. Ele defende um Estado menor e acredita que o cidadão terá maior poder de escolha se o Brasil for mais competitivo. Entre as suas propostas está a cobrança de quem tem renda suficiente para pagar o ensino e a defesa da reforma trabalhista, com ênfase na possibilidade de o empregado e patrão negociarem entre si.

Para ele, quando um cidadão depende do serviço público,...

Continue a ler no HuffPost