João enfrenta Rodolffo após fala racista e chora ao vivo

Durante o jogo da discórdia da noite desta segunda-feira (05), João Luiz enfrentou Rodolffo a respeito da fala racista do sertanejo sobre seu cabelo. Na hora que recebeu a fantasia do castigo do monstro, Rodolffo deu risada e disse que o cabelo da peruca era muito semelhante ao afro de João. O professor chegou a chorar ao desabafar sobre o caso com Camilla, mas preferiu não falar com Rodolffo imediatamente.

"Muita gente aqui pode não saber, mas no sábado aconteceu uma situação no quarto cordel que estava eu, Caio, Rodolffo e Juliette, e eu tô dizendo isso aqui agora porque pra mim, é um momento de muita coragem, de poder estar falando isso aqui agora. Rodolffo chegou a fazer uma piada comparando a peruca do monstro da pré-história com o meu cabelo. Então, isso pra mim, tocou num ponto muito específico. O jogo pode ser sim coisas que a gente vive aqui dentro, mas tem que ser um jogo de respeito", disparou.

Leia também

Rodolffo não reagiu e pareceu não se abalar com o comentário, e tentou se justificar: "Se todo mundo observou como era a peruca do monstro... acredito eu que era um pouco semelhante". Revoltado, João caiu no choro, e afirmou que está cansado de ter que explicar preconceito para pessoas brancas. "Não adianta você vir com discurso de que não foi sua intenção, de que você não teve a intenção, que eu tô cansado de ouvir isso e não é só aqui dentro, é lá fora também. Nunca ninguém tem a intenção de machucar, nunca ninguém tem a intenção de fazer as coisas com a gente. Por que, que não é mais fácil pra você reconhecer que errou, cara?".

O que Rodolffo e grande parte dos participantes do BBB não compreendem é a questão do impacto ser mais importante do que a intenção. O racismo - assim como a homofobia e a misoginia - é estrutural da sociedade patriarcal brasileira, e é essencial que pessoas brancas desconstruam falas problemática sem sobrecarregar emocionalmente quem é vítima dessa estrutura.

Em texto publicado por Flávia Ribeiro no Yahoo!, fica claro como a questão do racismo estrutural afeta todas as dinâmicas sociais: "Entendam que racismo é algo estrutural e estruturante na sociedade brasileira. Não gostar de uma pessoa branca pode causar sofrimento, mas isso não representa um risco de vida. Pessoas brancas com guarda chuva não são confundidas com bandidos. Aliás, quantas pessoas brancas têm ‘cara de bandido’? ‘Cara de empregada’? Quantas pessoas brancas perdem o emprego por não terem ‘boa aparência’".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos