João Gordo lembra briga com Dado Dolabella que marcou sua carreira na TV: 'Fiquei de vilão'

·2 minuto de leitura

Com mais de 20 anos de televisão, sendo 12 deles só na MTV Brasil, João Gordo entrevistou muita gente famosa, mas sua trajetória de apresentador ainda está marcada pela briga que teve com Dado Dolabella ao entrevistá-lo para o canal de música. Durante a entrevista, exibida em 2003, o ator chegou a destruir uma mesa de vidro do estúdio, o clima pesou e eles quase chegaram a vias de fato. O vocalista da banda Ratos de Porão lembrou do episódio e revelou mais detalhes da treta, chamada por ele de "Shrek versus o príncipe".

"Na época, eu sabia mais ou menos quem ele era. Conhecia mais os pais dele, o Carlos Eduardo Dolabella e a Pepita Rodrigues. O cara foi numa de zoar, uma zoeira de playboy, não era para ter treta. Já começou esquisito quando ele dispensou o carro da TV e foi de táxi para a entrevista. Só que antes o Dado passou numa loja de ferragens e comprou uma corrente e um machado. Durante a entrevista, eu queria conversar na boa, mas ele logo disse que eu estava traindo o movimento punk e botou na mesa o que ele tinha comprado. O clima começou a ficar esquisito e eu bati na mesa. Foi quando ele resolveu quebrá-la com o machado. Fiquei indignado", contou o músico no podcast No Flow.

Leia também: Latino fala de briga com Anitta: 'Fui humilhado, saí chorando da casa dela'

João Gordo conta que, por pouco, eles não se agrediram e acabou ficando de vilão na história: "Ficou aquele embate e eu sabia que estaria ferrado se encostasse a mão nele. Era o Shrek versus o príncipe. Acabou que fiquei de vilão da parada porque só foram mostrar as imagens na íntegra quatro anos depois. O curioso é que, após tudo isso, quiseram contratar a gente para uma campanha de calmante. Eu pedi um milhão e o Dado pediu a mesma quantia, aí acabou não rolando".

'Nunca fui viciado'

A luta do apresentador contra as drogas também foi citada na conversa. João Gordo revelou ter parado de usar cocaína há pouco tempo, mas nunca se considerou "viciado": "Usei bastante cocaína, mas nunca fui viciado na real, de vender a mesa de casa para comprar a droga. Eu era um apreciador. Gostava de enfiar o pé na jaca, usei um monte de coisa e já tive até uma overdose. Com pó foi até outro dia atrás. Tem gente que parece que foi pego para sempre, como o Lobão. Já usou tanto que nem precisa mais".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos