João Santana e Mônica Moura depõem ao TSE por cinco horas

ATUALIZADA - Dilma sabia de caixa 2 na campanha, afirmam João Santana e sua mulher

JOÃO PEDRO PITOMBO

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - O publicitário João Santana e sua mulher, Mônica Moura, prestaram depoimento por mais de cinco horas ao ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Herman Benjamin, no processo que pede a cassação da chapa Dilma-Temer.

Os depoimentos foram colhidos na manhã desta segunda-feira (24) na sede do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) da Bahia, em Salvador. O casal chegou por volta das 9h e acessou o prédio do Tribunal por uma entrada dentro do estacionamento, sem falar com a imprensa.

A audiência, iniciada às 9h20 e encerrada às 14h40, foi acompanhada por advogados do casal e pela defesa da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Advogados do presidente Michel Temer (PMDB) acompanharam os depoimentos de Brasília, por meio de videoconferência.

Além de João Santana e Mônica Moura, também prestou depoimento André Luis Reis Santana, funcionário do casal. O conteúdo dos depoimentos está sob sigilo.

Responsável pelo marketing da campanha de Dilma em 2014, João Santana depôs na condição de testemunha no processo que investiga suposto abuso de poder político e econômico na eleição presidencial.

Em depoimento ao juiz Sergio Moro na última terça-feira (18), no âmbito da ação contra o ex-ministro Antonio Palocci, João Santana e Mônica Moura afirmaram que receberam recursos de caixa dois da Odebrecht nas campanhas de Dilma e e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.