Joe Biden conversou por telefone com presidente chinês Xi Jinping

·1 minuto de leitura
O presidente Joe Biden em discurso para militares em Washington, 10 de fevereiro de 2021

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, falou pela primeira vez por telefone nesta quarta-feira (10) com seu homólogo chinês, Xi Jinping, anunciou a Casa Branca.

Na ligação, Biden expressou suas "profundas preocupações" sobre as práticas econômicas "injustas e coercitivas" de Pequim, sobre a repressão em Hong Kong e sobre "violações dos direitos humanos em Xinjiang", região onde vive a minoria muçulmana uigur.

Os dois líderes também conversaram, de acordo com o comunicado da Casa Branca, sobre a pandemia da covid-19 e os "desafios comuns" colocados pela segurança global de saúde e mudanças climáticas.

De acordo com especialistas, mais de um milhão de uigures estão sendo mantidos em campos de reeducação política em Xinjiang.

Pequim rejeita o termo "campos" e garante que são centros de treinamento vocacional, projetados para fornecer emprego para a população e manter o extremismo religioso sob controle.

Há muita expectativa sobre a posição do novo presidente americano em relação à China, devido aos múltiplos pontos de tensão que existem na relação entre as duas principais potências mundiais.

E embora Biden tenha mostrado claramente sua disposição de se distanciar da política externa de Donald Trump, a China é uma das poucas questões onde ele poderia promover alguma continuidade em relação a seu antecessor.

Em entrevista transmitida neste domingo pela CBS, Biden alertou que a rivalidade entre China e Estados Unidos se transformará em "competição extrema", ao mesmo tempo em que disse que quer evitar um "conflito" entre os dois países.

Questionado sobre o presidente chinês, Biden disse: "Ele não tem, e não quero dizer isso como uma crítica, mas é uma realidade, um único osso democrático em seu corpo."

jca/la/lda/am