Biden: Putin é o agressor, ele escolheu a guerra e arcará com as consequências

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou novas sanções contra a Rússia
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou novas sanções contra a Rússia (Foto: AP Photo/Alex Brandon)
  • Joe Biden anunciou novas sanções econômicas contra a Rússia

  • Objetivo do presidente norte-americano é prejudicar a Rússia economicamente no curto e no longo prazo

  • Biden chamou Putin de "pária" e disse não ter interesse em falar com o presidente russo

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, realizou o primeiro pronunciamento depois da invasão russa na Ucrânia. O norte-americano afirmou que "Putin é o agressor. Ele escolheu essa guerra e agora terá que arcar com as consequências".

Na sequência, Biden garantiu que os EUA vão "defender cada milímetro do território da OTAN" e anunciou intensas sanções econômicas à Rússia.

"Hoje, estou impondo novas sanções e limitações de exportações para a Rússia. Isso vai custar caro para a economia russa, tanto de forma imediata quanto a longo prazo. Nós desenvolvemos essas sanções para maximizar um impacto a longo prazo sobre a Rússia e minimizar os impactos sobre os Estados Unidos e nossos aliados", disse Biden durante pronunciamento.

Biden ressaltou que os Estados Unidos não estou fazendo isso sozinhos e contam com o apoio de uma coalização, formada pelas principais economias mundiais. "Vamos limitar o poder da Rússia de negociar em dólar, euro, libras e iene, de ser parte da economia global."

Segundo Biden, os efeitos das sanções norte-americanas já começaram a ser sentidas pela Rússia, que enfrenta uma queda relevante na bolsa de valores local.

Além dos dois bancos que já estavam impedidos de fazer transações com os Estados Unidos, Biden anunciou sanções a outros quatro bancos. "Isso significa que cada investimento que eles têm na América será congelado. Isso inclui VTB, o segundo maior banco da Rússia", disse.

"Nossas forças não são e não serão envolvidas no conflito entre Rússia na Ucrânia", garantiu. Os Estados Unidos pretendem ajudar a Ucrânia, mas sem envolver o próprio exército.

Biden falou ainda sobre a questão da energia, dado que a Rússia tem papel importante na distribuição de energia no mundo. "Estamos monitorando de perto a situação da energia em todo o mundo", afirmou. "Eu sei que é difícil e que os americanos já estão sofrendo, mas eu farei o possível para evitar o sofrimento dos americanos."

"Americanos se levantam contra os intimidados, levantamos pela liberdade. É isso que nós somos", declarou Joe Biden. "Eu também repito o aviso que fiz na semana passada: se a Rússia investir em um cyber ataque contra nossas empresas, nossa infraestrutura, estamos preparados para responder."

Biden avaliou que o momento representa um perigo para toda a Europa e para a liberdade de todo o mundo. Segundo o presidente norte-americano, Vladimir Putin atentou diretamente contra princípios básicos da paz mundial. "Isso nunca foi sobre uma preocupação genuína pela parte de Putin e seus aliados. Sempre foi sobre agressões, sobre o desejo de Putin por construir um império, fazendo o que fosse necessário." O presidente norte-americano ainda classificou o conflito como uma "guerra sem propósito".

"As agressões de Putin contra a Ucrânia acabarão prejudicando a tão estimada economia da Rússia. Nós vamos garantir isso. Putin será um pária mundial", prometeu.

O presidente dos Estados Unidos disse não ter interesse em conversar com Vladimir Putin e reafirmou seu compromisso com a liberdade e a democracia. "Liberdade vai prevalecer. Deus abençoe o povo de uma Ucrânia livre e democrática."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos