Jogador do Náutico é expulso em final e parte para cima de árbitra

Náutico: O atleta teve que ser contido de time e também por jogadores do rival Retrô. MARLON COSTA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Náutico: O atleta teve que ser contido de time e também por jogadores do rival Retrô. MARLON COSTA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Em jogo válido pela final do campeonato pernambucano neste sábado (30) , após ser expulso, o meia do Náutico Jean Carlos partiu para cima da árbitra Deborah Cecília. O atleta teve que ser contido de time e também por jogadores do rival Retrô.

A expulsão teve origem em um lance que aconteceu aos 22 minutos do primeiro tempo. Incomodado com a marcação individual de Yuir Bigode, que o perseguia em descida ao ataque do Náutico, o camisa 10 alvirrubro soltou o braço para trás, atingindo o adversário.

O episódio bárbaro é só a ponta do iceberg em um esporte que parece insistir em ser um ambiente hostil para mulheres. Além da violência física, Soriano ainda acusou a bandeira de ter inventado a agressão - capturada em vídeo - "por ser mulher", chegando a ameaçar levá-la à delegacia. "Praticamente em todo jogo falam coisas baixas pelo fato de eu ser mulher, tenho até vergonha de repetir. Além do assédio, de torcida a jogador. Mas esse tipo de agressão foi a primeira vez, e foi a que mais me assustou", disse Marcielly.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos