Jogadores da seleção brasileira não se vacinarão antes da Copa América

·1 minuto de leitura

Os jogadores da seleção brasileira que ainda não foram vacinados contra a Covid-19 não receberão o imunizante antes da disputa da Copa América no Brasil, a partir de domingo.

Havia a expectativa para que a primeira dose fosse aplicada nesta quarta-feira, no Paraguai, depois do duelo pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

Mas a CBF, após reunião com o Ministério da Saúde do Brasil no fim de semana, concluiu que os atletas não se vacinarão com o imunizante doado pela Conmebol. A entidade recebeu 50 mil doses da China e distribuiu pelas seleções.

No encontro, as conversas evoluíram para que a seleção receba a vacina no Brasil no futuro, o que no momento não é permitido por lei. Hoje, todas as vacinas que entram em território nacional precisam ser destinadas ao Sistema Único de Saúde.

Vale lembrar que a vacinação não é obrigatória para a disputa da Copa América. O ministro da Saúde Marcelo Queiroga também reforçou a não obrigatoriedade da imunização para a liberação da competição no Brasil.

Será necessário apenas seguir os protocolos, com exames PCR para Covid-19 e demais cuidados de higiene por onde passarem as delegações. A Conmebol divulgou os documentos nesta terça-feira.

Alguns jogadores da seleção, porém, já se vacinaram: Marquinhos, Neymar e Lucas Paquetá, que jogam na França. O técnico Tite também já recebeu duas doses.

As seleções vacinadas com pelo menos uma dose são Equador, Paraguai, Venezuela, Chile, Uruguai e Bolívia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos