Jogadores da Premier League alertam para perdas de 200 milhões de libras com cortes de salários

O zagueiro do Liverpool Virgil van Dijk em campo

A Associação de Jogadores Profissionais ingleses (PFA) alertou neste sábado (4) que uma eventual redução dos salários dos jogadores da Premier League, como medida de combate à crise do coronavírus, significaria um prejuízo de até 200 milhões de libras para os cofres públicos.

Clubes e jogadores dialogam por uma redução ou um adiamento dos pagamentos de cerca de 30% dos salários anuais, embora nenhum acordo tenha sido alcançado até agora.

"Todos os jogadores da Premier League querem -e o farão- assumir sua parte fazendo uma contribuição financeira sem precedentes", declarou a PFA em comunicado, afirmando, porém, que é simplista demais criticar os jogadores pela demora para se chegar a um acordo.

"A redução proposta de 30% em um período de 12 meses equivale a cerca de 500 milhões de libras em salários não pagos e perdas em contribuições fiscais para o governo de cerca de 200 milhões de libras", alertou o sindicato.

"Que efeito estas perdas teriam para o governo no Serviço Nacional de Saúde", questiona a PFA.

Na Espanha, por exemplo, os jogadores de Barcelona e Atlético de Madrid aceitaram reduzir seus salários em 70% enquanto o futebol estiver suspenso. Na Itália, os jogadores da Juventus aceitaram a redução de seus salários pelos próximos quatro meses.