Jogos Olímpicos: organização proíbe postagem de gesto antirracista nas redes oficiais do evento, diz jornal inglês

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A organização dos Jogos Olímpicos de Tóquio proibiu que sejam divulgadas em suas redes sociais imagens de atletas ajoelhados antes das partidas, gesto da luta contra o racismo que se popularizou nos esportes, segundo o jornal inglês "The Guardian". A ordem faria menção específica à partida entre Grã-Bretanha e Chile, pelo futebol feminino, nesta quarta-feira.

O gesto foi eixibido normalmente nas transmissões televisivas, e foi repetido nas partida entre Estados Unidos e Suécia. As imagens, porém, não figuraram nas redes sociais da Olimpíada ou do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Segundo o "Guardian", a orientação gerou surpresa, dada a recente flexibilização da regra, que passou a permitir manifestações pacíficas no campo ou quadra de competição, desde que não atrapalhem o andamento da partida ou desrespeitem os adversários. As manifestações no pódio seguem passíveis de punição.

Perguntado sobre o assunto, o presidente do COI, Thomas Bach, garantiu que a manifestação é permitida. A organização dos Jogos ressaltou a transmissão irrestrita e grande audiência da competição, também sem manifestação direta sobre a suposta orientação.

Vale lembrar que, durante a Eurocopa, parte da torcida inglesa chegou a vaiar os atletas de sua seleção durante a execução do gesto, mas a equipe seguiu repetindo-o até o fim da competição. Após a final — derrota da Inglaterra para a Itália nos pênaltis —, os atacantes Rashford, Saka e Sancho foram alvos de ataques racistas por errarem suas cobranças.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos