Johnson condena 'incentivo' de Trump aos invasores do Capitólio

·1 minuto de leitura
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, participa de uma conferência de imprensa virtual sobre a pandemia, em Downing Street, 10, no centro de Londres, em 7 de janeiro de 2021.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, condenou nesta quinta-feira (7) "sem reservas" a atitude do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de "encorajar" seus apoiadores, que invadiram o Capitólio, a protestar violentamente contra o fim de seu mandato.

"Durante toda a minha vida, os Estados Unidos significaram coisas muito importantes: um ideal de liberdade e um ideal de democracia", disse Johnson, nascido em Nova York, durante uma entrevista coletiva em Londres sobre a crise do coronavírus.

Mas Trump, de quem até recentemente era um grande aliado, "na medida em que encorajou as pessoas a invadir o Capitólio e na medida em que o presidente constantemente questionou o resultado de eleições livres e justas, penso que esteve completamente errado", acrescentou.

"Eu condeno, sem reservas, que as pessoas sejam encorajadas a se comportarem da maneira vergonhosa como fizeram no Capitólio", disse Johnson.

E declarou estar "muito feliz porque o presidente eleito (Joe Biden) foi devidamente confirmado no cargo e que a democracia prevaleceu".

acc/bc/jc/mvv