Johnson e Biden expressam preocupação com resposta chinesa a sanções

·1 minuto de leitura
Presidente dos EUA, Joe Biden, na Casa Branca

LONDRES (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, expressaram preocupação nesta sexta-feira com a resposta chinesa à imposição de sanções a suas autoridades, e também afirmaram que o Irã precisa voltar a cumprir o acordo nuclear.

Na segunda-feira, Estados Unidos e Reino Unido, juntamente com a União Europeia e o Canadá, impuseram sanções a autoridades chinesas por abusos dos direitos humanos em Xinjiang, na primeira ação coordenada desse tipo desde que Biden se tornou presidente.

A China respondeu impondo sanções a nove britânicos, incluindo parlamentares do Partido Conservador, de Johnson, parlamentares da UE e outros institutos europeus.

"O primeiro-ministro e o presidente refletiram sobre a ação significativa tomada por Reino Unido, EUA e outros parceiros internacionais no início desta semana para impor sanções aos violadores dos direitos humanos em Xinjiang e expressaram sua preocupação com a retaliação tomada pela China", disse um porta-voz de Johnson em um comunicado depois que os líderes conversaram nesta sexta-feira.

O comunicado informou que Biden e Johnson também concordaram sobre a necessidade de "o Irã voltar a cumprir o acordo nuclear", e falaram sobre a mudança climática.

"O primeiro-ministro e o presidente concordaram que o combate às mudanças climáticas será um componente crucial para uma retomada adequada pós-pandemia", acrescentou o porta-voz.

(Reportagem de Michael Holden)