Jordânia recupera últimas terras emprestadas a Israel

Agricultores israelenses organizam pequena cerimônia perto de suas antigas terras em Tzofar, fronteira com a Jordânia

Agricultores israelenses devolveram oficialmente à Jordânia, nesta quinta-feira, as últimas terras agrícolas que o reino havia lhes emprestado por mais de 25 anos, como parte do acordo de paz entre os dois países.

Os anexos do tratado de paz de 1994 autorizavam "a colocação à disposição" de terras nas regiões de Baqura/Naharayim e Ghumar/Tzofar, ao longo da fronteira comum, a proprietários privados israelenses por um período inicial de 25 anos.

O prazo foi encerrado em novembro passado e a Jordânia não quis prorrogá-lo. No caso de Ghumar (sul da fronteira), os agricultores israelenses conseguiram uma extensão até 30 de abril para cultivar as terras, em uma área de 4km².

O prazo acabou hoje e forças israelenses estavam presentes no local para bloquear o acesso dos agricultores israelenses, que cultivavam pimentões no local.

A decisão jordaniana de recuperar os terrenos, anunciada em outubro de 2018 pelo rei Abdallah II, causou certa agitação em Israel. A Jordânia e o Egito são os únicos países árabes que assinaram a paz com o Estado hebreu.