Jornada eleitoral crucial nos EUA

Os Estados Unidos vivem hoje um dia crucial para o futuro político do país. As eleições intercalares vão determinar a composição da Câmara dos Representantes e um terço do senado e podem lançar as fundações para a corrida à Casa Branca em 2024.

Trinta milhões de norte-americanos votaram por antecipação.

O ex-presidente Donald Trump esteve no Ohio no fecho da campanha, onde voltou a fazer referência a uma eventual recandidatura à chefia do Estado, afirmando que fará "um grande anúncio" a 15 de novembro.

No tom inflamatório que lhe é bem característico, Trump atacou os adversários democratas, que detêm atualmente o poder no país.

Donald Trump, ex-presidente dos EUA: "Este país tornou-se uma loucura... E só há uma escolha para pôr fim a essa loucura. Se vocês apoiam o declínio da América então devem absolutamente votar para os loucos da esquerda radical, os democratas da esquerda radical."

O presidente Joe Biden esteve no Maryland, onde avisou que se os republicanos tomarem o controlo do Congresso irão "desfazer tudo o conseguido" durante o seu mandato.

Joe Biden, presidente dos EUA: "Lembrem-se, o poder está nas vossas mãos. Vocês são uma das razões pelas quais estou tão otimista acerca do futuro do país. E, sejamos claros, esta eleição não é um referendo, mas uma escolha entre duas visões bastante distintas da América."

O resultado das eleições desta terça-feira é particularmente crítico no Nevada e nos cinco Estados que Biden conseguiu "virar" em 2020: o Arizona, a Georgia, o Michigan, a Pensilvânia e o Wisconsin.