Jornada intensa de bombardeamentos na Ucrânia

Jornada intensa de bombardeamentos na Ucrânia

Pelo menos cinco civis perderam a vida e outros 27 ficaram feridos, entre os quais seis crianças, num dos mais recentes bombardeamentos russos na cidade de Dnipro.

Da capital, Kiev, ao sul, norte e leste do país, a Ucrânia viveu este sábado uma jornada marcada por novos ataques russos contra infraestruturas essenciais, que provocaram importantes cortes no abastecimento elétrico, e que atingiram também zonas residenciais.

O grupo paramilitar Wagner, que lidera a ofensiva russa em Soledar, continua a reclamar a tomada da cidade. O oligarca russo Yevgeny Prigozhin, que dirige o grupo Wagner afirmava, no terreno, que "os que recusaram render-se foram mortos".

Mas as autoridades ucranianas afirmam que a pequena cidade do leste do país continua sob o seu controlo e que prosseguem os combates. Um soldado afirmava que "o Exército está a aguentar [...] a defesa" da cidade.

Soledar e Bakhmut, a curta distância, são atualmente os pontos "mais quentes" do conflito.