Jornal: apesar da renúncia dos clubes, Superliga Europeia segue viva em contrato

·1 minuto de leitura

Apesar da maioria dos participantes já terem anunciado publicamente sua desitência da falida Superliga Europeia, o projeto segue vivo em contrato. O jornal "El Confidencial" teve acesso aos documentos assinados pelos 12 clubes no dia 17 de abril, que apontam os fundadoras ainda ligados à Superliga.

Segundo a publicação, todos os times (Manchester United, Arsenal, Chelsea, Tottenham, Manchester City, Liverpool, Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madrid, Inter de Milão, Milão e Juventus) têm o mesmo número de ações.

"Os fundadores concordaram em possuir conjunta e igualmente a European Super League Company SL, uma sociedade de responsabilidade limitada que irá possuir, administrar e operar Superliga diretamente e por meio de uma série de subsidiárias" , diz um trecho do documento.

Isso quer dizer que, mesmo o clubes que já decidiram deixar o projeto, ainda fazem parte da Superliga no papel, por não terem vendido sua parte nem desmanchado o contrato judicialmente.

O caso está nas mãos do Tribunal de Justiça da União Europeia depois de a Uefa ter apresentado queixa contra os três clubes remanescentes. Mas apesar de apenas Real Madrid, Barcelona e Juventus ainda serem publicamente ligados ao projeto, todos os outros clubes ainda fazem parte da sociedade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos