Jornal britânico compara morte por gás pela PRF com caso George Floyd

Imagens publicadas em redes sociais mostram policiais transformando carro da PRF em câmara de gás, onde homem foi morto. (Foto: Reprodução)
Imagens publicadas em redes sociais mostram policiais transformando carro da PRF em câmara de gás, onde homem foi morto. (Foto: Reprodução)

Resumo da notícia

  • Morte de Genivaldo, assassinado pela PRF, foi destaque na imprensa internacional

  • Homem foi morto após ser colocado no porta mala do carro das autoridades, com gás lacrimogêneo e spray

  • The Guardian, do Reino Unido, compartou morte de Genivaldo ao caso George Floyd

O assassinato de Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, repercutiu na imprensa internacional. Na última quarta-feira (25), o homem morreu de asfixia mecânica, após ser colocado no porta mala de um carro da Polícia Rodoviária Federal, com bombas de gás e spray de pimenta.

O jornal britânico The Guardian, na versão online, comparou a morte de Genivaldo a de George Floyd, que aconteceu em Minneapolis, nos Estados Unidos. Assim como no caso brasileiro, o homem foi morto por policiais, por asfixia. Enquanto Genivaldo morreu em 25 de maio de 2022, Floyd foi assassinado em 25 de maio de 2020.

Outras publicações internacionais também destacaram o caso, como o espanhol El País. Na manchete, o jornal destaca: “um homem morre em um carro da polícia no Brasil onde policiais colocaram gás lacrimogênio”.

O caso também repercutiu no The Washington Post, dos Estados Unidos, e na rede britânica BBC. No site do Reino Unido, o texto afirma que a Polícia Rodoviária Federal não tem “direitos humanos” na formação dos agentes.

Causa da morte

Segundo o laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Sergipe, o homem negro imobilizado por policiais da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e colocado no porta-malas de uma viatura, morreu de asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda.

Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, teve a causa da morte confirmada pela Secretaria de Segurança Pública na manhã da última quinta-feira (26).

O caso aconteceu nesta quarta-feira (25), em Umbaúba (SE). Segundo a SSP, mais exames estão sendo feitos, mas o corpo já foi liberado do IML para o velório, que ocorre na casa de sua mãe, no povoado Mangabeira, em Santa Luzia do Itanhy. A vítima era casada e deixa um filho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos