Jornalista é assassinado na fronteira do Paraguai com o Brasil

ASSUNÇÃO (Reuters) - Um jornalista foi assassinado na fronteira do Paraguai com o Brasil nesta terça-feira, no mais recente episódio de violência em uma região cada vez mais dominada pelo tráfico de drogas e por disputas entre gangues.

O jornalista Humberto Coronel foi baleado em frente à estação de rádio onde trabalhava, na cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, afirmou o chefe de polícia da região, Rúben Paredes, menos de três meses depois de Coronel dizer que ele e seu colega receberam ameaças de morte.

Localizada na fronteira do Paraguai com o Brasil, Pedro Juan Caballero é considerada a cidade mais violenta de um país que se tornou uma atraente base de operações para grupos criminosos brasileiros, incluindo o PCC e o Comando Vermelho.

Coronel trabalhava para a rádio Amambay, uma estação de propriedade da família do falecido prefeito da cidade, José Carlos Acevedo, um crítico declarado das forças de segurança da cidade e que também foi baleado e morto em frente ao seu escritório no final de maio.

As autoridades disseram que Coronel foi baleado pelas costas por um assassino vestido de preto e que chegou em uma motocicleta. Um policial encontrou 10 cápsulas de uma pistola calibre 9mm no local.

"Estamos no início da investigação... era uma única pessoa de preto, com capacete", disse Paredes a repórteres, acrescentando que os policiais que faziam a segurança da área da rádio não conseguiram perseguir o agressor porque estavam a pé.

(Reportagem de Daniela Desantis)

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS PB