Jornalista é assassinado no norte do México; é a 3a morte em 2020

(Arquivo) Jornalistas seguram fotos da colega mexicana Miroslava Breach, em uma manifestação em memória do segundo aniversário de seu assassinato, diante da sede do governo de Ciudad Juárez, estado de Chihuahua, México, em 23 de março de 2019

O jornalista mexicano Jorge Armenta foi assassinado no sábado (17), em Ciudad Obregón, em Sonora (norte), junto com um guarda municipal, elevando para três o número de profissionais da imprensa mortos no México em 2020 - informou a Procuradoria regional nas redes sociais.

"Um ataque armado que custou a vida de Jorge Armenta, diretor do #MediosObson, e de um elemento do #PoliciaMunicipal, é confirmado. No mesmo evento, um comandante ficou ferido e está recebendo atendimento médico", relatou a Procuradoria no Twitter.

Armenta "estava sendo ameaçado e estava sob proteção" do Mecanismo de Proteção para Pessoas Defensoras dos Direitos Humanos e Jornalistas, subordinado à Secretaria de Governo (Interior), disse Balbina Flores, representante no México da ONG Repórteres Sem Fronteiras.

Segundo a organização, ele foi o terceiro jornalista assassinado no país desde o início do ano.

Também no Twitter, a governadora de Sonora, Claudia Pavlovich, disse ter determinado "que as investigações comecem imediatamente para esclarecer e encontrar os responsáveis pelo ataque condenável contra o diretor da Media Obson, Jorge Armenta e contra dois policiais municipais".

A Repórteres Sem Fronteiras investiga que tipo de proteção o jornalista tinha à sua disposição.