Jornalista americano libertado em Mianmar luta 'contra autoritarismo'

·2 min de leitura
Jornalista americano Danny Fenster, condenado a 11 anos de prisão e libertado nesta segunda-feira em Mianmar (AFP/Handout)

Um homem humilde, sempre positivo e inspirado no combate do escritor George Orwell contra o autoritarismo. Este é Danny Fenster, jornalista americano que acaba de ser libertado pela junta militar birmanesa, segundo um de seus colegas, entrevistado pela AFP.

Desde o golpe de fevereiro que derrubou Aung San Suu Kyi e levou a uma repressão que causou mais de 1.200 mortes, Mianmar é, depois da China, o país que mais prendeu jornalistas em todo o mundo.

Preso em maio enquanto tentava deixar o país, Danny Fenster foi surpreendentemente solto nesta segunda-feira(15).

Ele poderia ter sido condenado à prisão perpétua por terrorismo e sedição e já havia sido condenado a 11 anos de prisão na semana passada por associação criminosa e incitação a atividades contra o exército.

Danny "sempre foi uma das pessoas mais positivas", disse à AFP Andrew Nachemson, amigo e colega do editor-chefe adjunto da revista Frontier Myanmar. “Ele estava muito preocupado com a verdade e a luta contra o autoritarismo”, disse ele.

Ele é um "grande admirador" de George Orwell, que foi funcionário público britânico em Mianmar e dedicou um de seus primeiros romances a essa experiência.

Como Danny Fenster, Andrew se estabeleceu em Mianmar para cobrir a transição do país para um regime democrático sob a liderança de Aung San Suu Kyi na década de 2010.

"Alguém como Danny quer denunciar que jornalistas estão sendo presos e rohingyas assassinados."

Os contatos de Danny Fenster - que contraiu covid-19 na prisão - com o mundo exterior eram limitados a visitas de sua companheira e telefonemas para sua família.

Talvez ele tenha sido "usado como refém" pela junta em suas relações com os Estados Unidos, que sancionou seus líderes, diz Andrew Nachemson.

- Diplomacia -

Outros jornalistas estrangeiros foram detidos pela junta por períodos mais curtos, como o americano Nathan Maung, que foi libertado em junho, duas semanas após a prisão de Fenster.

Espancado e privado de água por vários dias durante seu interrogatório, Maung acredita que a diplomacia americana tornou sua libertação possível.

A mesma diplomacia pode ter atuado no caso de Danny Fenster, que foi fotografado ao lado de um avião com o ex-governador dos Estados Unidos Bill Richardson, logo após sua libertação nesta segunda-feira.

Richardson, ex-embaixador dos Estados Unidos nas Nações Unidas, que agora trabalha na libertação de reféns, viajou para Mianmar há apenas uma semana e meia para se encontrar com o chefe da junta, Min Aung Hlaing, na capital Naipyido.

Os dois discutiram o fornecimento de vacinas contra a covid-19 e de suprimentos médicos, segundo o Exército.

Não foi especificado se o caso de Danny Fenster foi mencionado por Bill Richardson.

"Estamos muito felizes que Danny possa ver sua família e amigos", disse Richardson no site oficial de sua organização no Twitter.

bur-rma/del/pz/eg/jvb/jc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos