Jornalista Barbara Walters morre aos 93 anos nos EUA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A jornalista Barbara Walters, uma pioneira na TV americana, morreu nesta sexta-feira (30) aos 93 anos. A informação foi confirmada pela rede ABC News, à qual ela ficaria associada por ter trabalhado durante décadas. A causa da morte não foi divulgada.

Dona de uma carreira de mais de meio século na TV americana, ela foi por muito tempo pioneira em uma profissão então reservada para os homens. No total, ganhou 12 Emmys.

Até se aposentar, em 2014, Walters entrevistou todos os presidentes e primeiras-damas americanos de Richard Nixon (1969-1974) a Barack Obama (2009-2017). Também conversou com líderes de todo o mundo, como Fidel Castro, Boris Ieltsin, Margaret Thatcher, Indira Gandhi, Vladimir Putin e Saddam Husein, e com estrelas do cinema, como Katharine Hepburn, Harrison Ford e Angelina Jolie.

Seu recorde de audiência foi registrado em 1999, em um programa com Monica Lewinsky, ex-estagiária da Casa Branca que quase levou ao impeachment do então presidente Bill Clinton. Cerca de 74 milhões de telespectadores assistiram à entrevista exclusiva.

Walters começou na rede NBC em 1961, produzindo para a parte informativa do matutino "Today Show", com temas femininos e apresentando a previsão do tempo. Anos depois, tornou-se coapresentadora do "Today Show", sendo a primeira mulher a ocupar esse papel na televisão americana. Em 1976, mudou-se para a ABC, onde dividiu a bancada nos telejornais da noite, função na qual também foi pioneira.

Nas entrevistas individuais, Walters se tornou conhecida por investigar a vida privada de estrelas de cinema, chefes de estado e outras personalidades, persuadindo seus entrevistados a responderem perguntas íntimas. Também fez sucesso com crônicas que tinham como tema principalmente pessoas ricas e poderosas. Segundo o jornal New York Time, seu êxito abriu as portas para outras apresentadoras da televisão americana, como Jane Pauley, Katie Couric e Diane Sawyer.

Walters foi a única repórter de televisão a acompanhar a histórica viagem do presidente Richard Nixon à China, em 1972. Quando o ex-ministro das Relações Exteriores de Israel, Moshe Dayan, morreu em 1981, a jornalista teria emprestado à mulher do político, Raquel, um vestido preto para o funeral.

Em 1979, passou a ser coapresentadora e produtora do programa de notícias "20/20" e, concomitantemente, apresentou e contribuiu para alguns informativos da rede, além de mediar debates, como um presidencial em 1984.

No total, Barbara Walters trabalhou 25 anos para o "20/20" e, em paralelo, começou com "The View", em 1997.

A jornalista trabalhou em frente às câmeras até os 84 anos. A última aparição como coapresentadora do "The View" aconteceu em 2014. Depois, ela continuou como produtora executiva do programa e participando de reportagens especiais. A partir de 2016, já com a saúde debilitada, as aparições públicas de Walters se tornaram raras.