Jornalista esfaqueado sofreu tentativa de latrocínio, diz polícia

·2 min de leitura
Polícia Civil do Distrito Federal concluiu nesta segunda-feira (25) a investigação sobre o crime contra o jornalista Gabriel Luiz. (Foto: Reprodução/Instagram @gabluiz)
Polícia Civil do Distrito Federal concluiu nesta segunda-feira (25) a investigação sobre o crime contra o jornalista Gabriel Luiz. (Foto: Reprodução/Instagram @gabluiz)

A Polícia Civil do Distrito Federal concluiu nesta segunda-feira (25) a investigação sobre o crime contra o jornalista Gabriel Luiz, de 29 anos, da TV Globo em Brasília, esfaqueado na noite do dia 14 de abril. Segundo o delegado responsável pelo caso, o profissional sofreu uma tentativa de latrocínio.

Nesta segunda-feira (25), os investigadores da polícia ouviram Gabriel no Hospital Brasília, localizado no Lago Sul. "Não houve nada nos depoimentos que nos levasse a qualquer outra conclusão que não fosse o latrocínio tentado", disse o delegado Douglas Fernandes ao G1.

Gabriel foi atacado por dois homens próximo ao prédio onde mora na região do Sudoeste, no Distrito Federal. Segundo o G1, ele foi atingido por 10 facadas no pescoço, no abdômen, no tórax, na perna, no estômago, no pulmão, no pâncreas e no diafragma, além do braço e do pulso.

"Ele recorda que esses dois elementos teriam se aproximado dele e que ambos teriam, antes de qualquer agressão, teriam mencionado 'acabou' ou 'perdeu'. Gabriel não recorda exatamente qual palavra foi e que no momento seguinte, logo depois, começaram as agressões com faca", disse Petter Ranquetat, um dos delegados do caso, ao G1.

O inquérito já foi encaminhado para a Justiça e o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) tem o prazo de até cinco dias para oferecer denúncia. Segundo o jornal, outras 16 pessoas foram ouvidas.

Na terça-feira (19), Gabriel recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e foi para um quarto. Ele, no entanto, segue internado e sem previsão para deixar o hospital.

Entenda o caso

O jornalista Gabriel Luiz foi esfaqueado quando chegava em casa, no Sudoeste, no Distrito Federal, na véspera do feriado de Páscoa. O jornalista foi levado ao Hospital de Base de Brasília, onde foi atendido com hemorragia.

Devido ao estado grave, porém estável de Gabriel, segundo boletim médico, ele passava por cirurgias e deve ficar em observação antes de ser transferido para uma UTI.

"No local, a equipe encontrou Gabriel sentado debaixo de uma marquise, tentando conter o sangramento. Devido à proximidade do Grupamento de Bombeiros do Sudoeste e o local do atendimento, chegamos rápido, fato que reduziu a perda de sangue", afirmou a corporação militar.

Na terça-feira (19), José Felipe Tunholi, de 19 anos, confessou ter esfaqueado Gabriel Luiz. Ele está preso na Papuda. O segundo suspeito, um adolescente de 17 anos que também participou do crime, está em uma unidade de internação para menores de idade.

Segundo o G1, os suspeitos decidiram atacar o jornalista por ele estar caminhando sozinho. Segundo o depoimento dos acusados, eles não conheciam Gabriel. O jovem de 19 anos teria dado as facadas enquanto o menor, de 17, segurava o jornalista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos