Jornalista José Carlos Cataldi morre aos 67 anos por complicações da Covid-19

O Globo
·1 minuto de leitura

RIO — O jornalista, radialista e advogado José Carlos Cataldi faleceu na tarde de sexta-feira, , aos 67 anos, por complicações decorrentes da Covid-19. Ele estava internado em um pronto socorro de Pindamonhangaba, São Paulo, mas não conseguiu ser transferido para uma vaga de UTI na Santa Casa de Pindamonhangaba, que está superlotada. O jornalista era diabético e fazia parte do grupo de risco da doença.

Carioca, Cataldi foi um dos fundadores da rádio CBN. Trabalhou também como apresentador da TV Rio/Record; Rede Manchete, TV Educativa RJ (Programa Pensando em Você); e Comentarista jurídico da Rádio Justiça do STF. Recentemente, atuou como colunista do Jornal da Cidade, São José dos Campos Diário e Rede de TV Novo Tempo.

Aos 14 anos, já trabalhava em jornais de bairros. Aos 16, chefiava a reportagem na Rádio Nacional do Rio de Janeiro, de onde foi apresentador por 35 anos. Foi também redator e editor nas Rádios Tupi, Globo, Clube de Corumbá (MS) e Independente de Aquidauana (MS).

O jornalista formou-se em Direito pela Faculdade Metodista Bennett. e fez direito canônico na Arquidiocese do Rio sob orientação da Universidade Gregoriana de Roma. Foi conselheiro federal da OAB e presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal. Atualmente ocupava uma cadeira no conselho da Subseção da OAB-RJ de Madureira/Jacarepaguá.

Ao londo de sua vida, foi reconhecido pelo trabalho no jornalismo e no Direito. Recebeu o título de Cidadão Benemérito do Estado do Rio e das Cidades do Rio, Niterói, Japeri, Paracambi e Taubaté . E foi detentor das Comendas Tiradentes; Pedro Ernesto; Zenóbio da Costa, e Grã Cruz do Mérito Judiciário. Agraciado em Pindamonhangaba com Moção por relevantes serviços.