Jornalistas sonham com notícias que gostariam de dar em 2023

Com as esperanças renovadas com a entrada de um novo ano, qual notícia você gostaria de ouvir em 2023? De fila zero nos hospitais ao fim da violência, os desejos são muitos, pelo menos entre os apresentadores do "Bom dia Rio", "RJ1" e "RJ2", que elegeram o que gostariam de anunciar nos telejornais para os espectadores. Os números e as notícias, infelizmente, não dão indícios de que todos os desejos estão prestes a serem concretizados, mas como sonhar não custa, que a lista sirva como missão dos que cobram diariamente o poder público em busca de melhorias para todos.

Ana Luiza Guimarães, do "RJ2":

“Queria poder fazer um dia um jornal só de boas notícias.Queria poder falar que a rede de saúde do Rio de Janeiro é a melhor do Brasil, que todos os professores são bem pagos e valorizados como merecem. Queria falar do fim da corrupção, das cidades seguras e da valorização dos artistas”.

Flávio Fachel, do "Bom dia Rio":

“Eu queria noticiar o fim da violência, fim da corrupção, fim das filas dos hospitais e todo mundo podendo exercer a plena cidadania. Infelizmente, não há indícios de que estamos próximos dessa realização. O cidadão do Rio de Janeiro precisa ser visto com mais carinho”.

Silvana Ramiro, do "Bom dia Rio":

“São tantas, mas queria poder dizer que os números da violência caíram drasticamente. Quero dizer que Rio de Janeiro está muito mais calmo, as pessoas estão saindo de casa sem se preocupar com arrastão ou bala perdida. Seria um sonho”.

Mariana Gross, do "RJ1":

“Tentando ser mais pé no chão, e olhando para as reportagens que tanto cobramos no nosso jornal, queria anunciar melhorias no transporte do Rio. Falar que o BRT está funcionando beleza, ônibus voltaram a circular, e que o metrô foi expandido até a Gávea. A cidade já começaria a respirar melhor”.