José Loreto fala de personagem em 'Vai na fé' e do namoro com Rafa Kalimann

Sai de cena o tímido peão Tadeu de "Pantanal" e entra o latin lover Lui Lorenzo de "Vai na fé", próxima novela das 19h da Globo. Um mês depois de se despedir de um dos personagens mais emblemáticos de sua carreira, José Loreto já está entregue a um tipo totalmente diferente. E se engana quem pensa que dar adeus foi tarefa árdua:

— Para falar a verdade, não está sendo, não. Porque eles são extremos opostos, muito diferentes um do outro. Se eu fizesse em seguida um personagem rural, com pureza e elementos que o Tadeu tinha tão dilatados, poderia dar uma confundida. Lorenzo é para fora, urbano, carioca, vaidoso. Estou trabalhando com praticamente a mesma equipe de "Pantanal", a galera da técnica. Eles me falaram: "Nos primeiros dias esquecemos completamente que você fez o Tadeu". Essas diferenças dos personagens me ajudaram a desapegar do Tadeu, largar a mão dele, para começar do zero.

Vai na fé: conheça a história da nova novela

Após ser flagrada: Rafa Kalimann diz que colocou película anti-fofoca no celular

Lui Lorenzo é um cantor pop meio decadente que se apresenta com bailarinas. As inspirações, segundo o ator, são Latino, Ricky Martin, Luis Miguel e Sidney Magal. Esse último, inclusive, seria interpretado por Loreto no cinema, mas, por conta de sucessivos adiamentos, as filmagens coincidiram com as gravações de "Pantanal", tornando impossível conciliar. Ele já tinha feito várias aulas de dança e canto para o papel do intérprete de "Sandra Rosa Madalena", mas agora retomou tudo para a trama das 19h.

— Vai ter muito rebolado, muita dança. Ele canta músicas sensuais. Não é funk nem sertanejo. É mais pop. Já gravei quatro canções inéditas em estúdio. Uma delas fala de uma pool party na piscina do Lui. O personagem já fez muito sucesso, mas há tempos vive das mesmas músicas. Meio que parou no tempo, não se reinventou. Já encheu estádios, mas hoje deixa o teatro meia-boca. Só tem aquelas fãs de carteirinha antigas. Além disso, é muito polêmico e está sempre em tabloides por causa de fofocas. É mulherengo, se envolve com um monte de gente. Até que vai se apaixonar pela Sol (Sheron Menezzes, a protagonista) — adianta ele, que já gravou cenas de show dos primeiros capítulos no Teatro Rival, no Centro do Rio.

Loreto destaca que, com um personagem carregado nas tintas, o risco de errar é grande:

— Ele anda numa corda bamba. Se eu pesar demais... Mas acho que até agora está sendo um baita acerto. Se eu estou me divertindo, está bom.

Gravando no Rio, o ator diz que tem mais tempo para ficar com a filha, Bella, de 4 anos, do casamento com Débora Nascimento. Durante "Pantanal", eles fez duas viagens, uma de três meses e outra, de um:

— Foi mais difícil, mas ao mesmo tempo as minhas datas e as da mãe dela encaixaram perfeitamente. Quando ela estava viajando, eu fiquei aqui e vice-versa. Mas agora eu consigo levá-la à natação, à escola, ao balé... E minha filha já entendeu também. Tem 4 anos, mas parecer ter 12. É muito madura. Diz: "Papai tá indo trabalhar".

Recentemente, uma novidade surgiu na vida de Bella. É Rafa Kalimann, nova namorada de Loreto. Ele conta como é a relação das duas:

— De boa, tudo no seu tempo, devagar. A Rafa é um amor. Elas se gostam, se curtem, se divertem. É tudo muito novo. Temos cautela, mas é uma cautela natural. Não tivemos qualquer problema. Bella entende que o papai namora.

Ele explica esse cuidado ao inserir Rafa no convívio familiar:

— Está muito cedo. Passei por um divórcio, tenho uma filha pequena. Fui bem cauteloso para apresentar alguém para ela. Tive outro relação antes (da Rafa). Agora é só ir com um pezinho atrás do outro, sem ansiedade. Quando estamos apaixonados, a tendência é ficarmos um pouco desmedidos. Mas como tenho essa coisa especial demais na minha vida (a filha), fui bem cauteloso. Namorada é como uma grande amiga que convive mais. Não fico beijando a Rafa na frente dela, ainda tem tempo. Isso vai de cada um também. Você vai sentindo, deixando bem natural.