José Saramago ganha mostra com documentos inéditos em Portugal

No ano do centenário de José Saramago, documentos inéditos revelam curiosidades sobre o Nobel de Literatura português. Nesta terça-feira, 2, o Arquivo Nacional Torre do Tombo, que constitui o arquivo central de Portugal, inaugurou a exposição "José Saramago e uns Documentos do ‘Diabo’".

A mostra reúne amplo acervo documental e bibliográfico do autor de "Ensaio sobre a cegueira", como correspondência, fotografias inéditas e documentos pessoais.

Um dos principais documentos, segundo o jornal Público, de Portugal, é uma carta de 1973 que o escritor enviou à sua filha, Violante Saramago Matos, quando ela se encontrava presa pela ditadura de seu país. "É provavelmente uma das peças revelação, senão mesmo inédita”, disse ao Público Silvestre Lacerda, um dos responsáveis pelo arquivo.

A exposição também permite saber mais sobre o percurso de Saramago como jornalista em veículos como Diário de Lisboa e no Diário de Notícias. O título da exposição, aliás, faz referência a outro documento curioso, que mostra a tentativa do escritor de ressuscitar o semanário Diabo, jornal político que circulou em Portugal nos anos 1930 e 1940.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos