José Dirceu chora e diz que não fará delação premiada

Fátima Meira/ Futura Press

Preso na sexta-feira, o ex-ministro José Dirceu disse a aliados políticos que em nenhum momento cogitou fazer delação premiada mesmo com a possibilidade de passar o resto da vida na cadeia. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

“Eu fui formado numa geração em que a delação é a perda da condição humana. A maioria [das pessoas presas na ditadura] não delatou nem mesmo sob tortura que as destruíram fisicamente e psicologicamente. Muitos ficaram com sequelas e carregam até hoje aqueles tormentos, como é o caso da própria presidente Dilma”, declarou o petista.

Apesar de ter tentado demonstrar força, Dirceu chegou a chorar antes de ser preso.

A prisão foi determinada na quinta-feira pela juíza Gabriela Hardt, substituta de Sérgio Moro na 13ª Vara Federal de Curitiba, que em sua decisão autorizou a transferência de Dirceu para o sistema prisional de Curitiba, para a ala prisional reservada aos presos da Lava Jato.

Na decisão, a magistrada determinava que o ex-ministro se entregasse à PF em Brasília até às 17h desta sexta-feira, prazo limite a partir do qual a autoridade policial deveria cumprir o mandado.

A juíza não descartou, no entanto, a possibilidade futura de Dirceu cumprir pena no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.