Jovem é assassinado por mascar tabaco perto de templo sikh na Índia

A polícia da Índia anunciou nesta sexta-feira (09) a prisão de três membros de uma ordem radical sikh pelo assassinato de um jovem que mascava tabaco perto do Templo Dourado, local sagrado do sikhismo no estado indiano de Punjab.

O jovem Harmanjeet Singh, de 22 anos, morreu na quarta-feira (07) após uma briga com três nihangs, uma ordem radical de guerreiros sikhs reconhecida por suas túnicas azuis e seus sabres.

A polícia informou à AFP que os três foram detidos.

Por achar que Singh estava bêbado, o trio o atacou enquanto ele mascava tabaco, duas práticas proibidas pelo código de conduta do sikhismo.

"O incidente aconteceu a vista de todos", declarou o comissário da polícia de Amritsar, Arul Pan Singh, para os repórteres. "Ninguém interviu para impedir" a agressão, acrescentou o funcionário.

A proteção dos santuários é um tópico delicado na fé sikh. O consumo de tabaco, álcool ou drogas em um local religioso é considerado um grave ato de profanação.

A ex-primeira-ministra indiana Indira Gandhi foi assassinada em 1984 por seus seguranças sikhs, após ter ordenado um violento ataque ao Templo Dourado para expulsar os separatistas da religião.

str-gle/lth/jg/me/zm/ms