Jovem ativista é detido perto do consulado dos EUA em Hong Kong

·1 minuto de leitura
Tony Chung, 19 anos, em Hong Kong
Tony Chung, 19 anos, em Hong Kong

Um jovem ativista de Hong Kong, um dos primeiros detidos em virtude da nova Lei de Segurança Nacional, foi preso novamente nesta terça-feira (27) perto do consulado dos Estados Unidos, informaram a mídia e ativistas do território semiautônomo.

Tony Chung, de 19 anos, foi levado por homens quando estava em um café em frente ao consulado dos Estados Unidos, informou o jornal South China Morning Post, citando um de seus jornalistas que presenciou os acontecimentos.

The Post, assim como os veículos HK01 e iCable News, citaram fontes próximas à investigação que afirmam que Chung foi detido pela unidade de polícia encarregada de aplicar a Lei de Segurança Nacional em Hong Kong.

Um grupo a favor da independência, "Student Localism", do qual ele era membro antes da entrada em vigor dessa legislação em junho, informou hoje no Facebook que o jovem havia "desaparecido", destacando que outros dois ex-membros foram detidos nesta terça-feira pela Polícia. 

A Polícia confirmou posteriormente as três detenções, alegando que estavam relacionadas com uma investigação em andamento sobre o grupo por "incitação à secessão", um dos novos crimes contra a segurança nacional. 

Outro grupo, até então desconhecido, chamado "Amigos de Hong Kong", alertou a imprensa sobre essa prisão em um comunicado, afirmando que seus membros tentaram obter uma solicitação de asilo para Chung através do consulado dos EUA.

A AFP não conseguiu verificar se o grupo ajudou o jovem a solicitar asilo.

Segundo o comunicado, membros do grupo viram quatro homens entrarem na cafeteria na manhã de terça e prender Chung. 

As ligações em seu celular não foram atendidas.

su-jta/je/juf/ode/mab/zm/aa