Jovem com o cabelo raspado pelo pai bombeiro faz vaquinha para comprar peruca

Marjoriê Cristine
Adolescente teve o cabelo raspado como castigo

A adolescente de 14 anos que teve o cabelo raspado pelo pai, um sargento do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, ganhou uma peruca para aumentar a sua autoestima. O objeto foi comprado pela mãe no sábado, dois dias após a denúncia feita pela mãe da jovem na 30°DP (Marechal Hermes). Como a família não tem dinheiro para bancar a compra, feita a crédito, uma amiga criou uma vaquinha online para arrecadar o valor investido de R$ 2,8 mil. Para contribuir, basta acessar o site AQUI e inserir o ID: 828563 na busca.

Ao EXTRA, a mãe da adolescente contou que a menina está se recuperando do choque e que tem recebido o suporte da família materna e dos amigos da escola, que a visitam todos os dias para animá-la.

– Hoje ela está um pouco melhor. Ela está tendo o meu suporte, de toda família, de todas as maneiras possíveis. Eu, como mãe, consegui comprar uma peruca para ela no crédito e agora estamos recolhendo ajuda para efetuar o pagamento. A autoestima dela já melhorou um pouco, porque ela não precisa olhar para cabecinha dela careca. OS amigos da escola estão vindo aqui, dormem aqui, ela se distrai. Acaba tendo um momento de paz diante de tanta tristeza que está passando – diz a mãe, que tem 34 anos.

O caso aconteceu na madrugada de quinta-feira em Bento Ribeiro, na Zona Norte. O sargento dos Bombeiros ficou irritado depois de assistir um vídeo em que a menina aparecia supostamente tomando bebida alcoólica e fumando cigarro. Os pais da jovem são separados. Segundo a polícia, a menina passava uns dias na casa do pai, mas acabou sendo alvo do comportamento descontrolado do militar.

A mãe da menina conta que ela ainda acorda de madrugada assustada e chorando, porque ainda tem as imagens do ato do pai na cabeça.

– Ela ainda lembra, chora, acorda de madrugada chorando porque sonha. Ou lê o que está no Facebook e vê algumas coisas, os comentários de pessoas apoiando o que o pai fez. Isso a deixa indignada, assim como me deixa também, apoiando uma atrocidade dessas. Ela está vendo tão jovem do que é o ser humano – afirma a mãe, que não consegue manter a emoção quando fala sobre o caso.

A adolescente já havia experimentado um cigarro, no sabor menta, segunda a mãe, há alguns meses. Mas foi castigada pelo erro, pediu desculpas e disse que não cometeria mais. No entanto, ela afirma que a atitude do ex-marido, de quem está separada há quatro anos, foi exagerada e sem desculpa.

– Se ela cometeu um erro, ela precisa ser repreendida sim, assim como foi por mim há um período atrás quando eu descobri que ela experimentou um cigarro, com sabor de menta. Isso não é mentira. Eu como mãe fiz o meu papel, coloquei de castigo, tirei as regalias e durante um mês ela não colocou os pés na rua. Ela me pediu desculpa e disse que não faria mais. Ela não é uma piranha, uma vagabunda como ele diz. Ela só saí na minha presença, como uma adolescente normal eu a permiti que ela fosse . Não merecia ser corrigida dessa maneira.