Jovem de 14 anos cria robô para ajudar pessoas a tomarem remédios

·1 min de leitura
Foto: Getty Images.
Foto: Getty Images.
  • Jovem de 14 anos criou um robô que dança e leva remédios para quem precisa;

  • O menino programou a criação com uma base em blocos similar à plataforma scratch;

  • De acordo com o Fórum Econômico Mundial, 53% dos brasileiros pioraram a saúde mental em 2020.

A necessidade diária de se tomar remédios, e a rotina que essa ação repetitiva cria, pode se tornar cansativa e enfadonha. Por isso, nada melhor que uma dose diária de bom humor e diversão para tornar a tarefa mais agradável. É o que Rafael Sampaio, um aluno de 14 anos, recentemente possibilitou, com uma criação sua.

O jovem estudante, da escola de tecnologia e robótica Codebuddy, criou um robô que dança e entrega os remédios para quem necessita. 

Sabe-se que com a crise econômica e sanitária iniciada pela pandemia desde 2020, muitos transtornos psiquiátricos emergiram ou pioraram.

Leia também:

Segundo uma pesquisa do Fórum Econômico Mundial, publicada em abril deste ano, 53% dos brasileiros afirmaram que a saúde mental piorou durante o ano passado, fato que se alastrou pelo mundo.

Desse modo, ações das mais pequenas contribuem no momento de abrilhantar o cotidiano. Foi a intenção de Rafael, que utilizou dos princípios robóticos e da programação, ensinados pela Codebuddy, para elaborar um robô feito de Lego que ajudasse crianças e adultos.

O jovem aluno de 14 anos programou sua criação com uma base em blocos similar à plataforma scratch. A ideia veio à mente após o mesmo ver um robô do primo, da série Star Wars, que dançava.

A espécie de projeto criada por Rafael está preparando muitas crianças e jovens para o mercado digital de trabalho. Segundo a Gartner Group, empresa de consultoria, estima-se que 100 mil vagas sejam criadas por ano em empregos do setor tecnológico.

As informações são do portal Terra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos