Jovem denuncia golpe do tarô após perder mais de R$ 7 mil para 'desfazer trabalhos'

·2 min de leitura
Tarot cards and magic crystal ball. Set of tarot cards on the table. Crystal ball to predict the fate. Guessing for the future. Mixed tarot cards on the table with a magic orb. Reading of future
Suspeita se apresentava como bruxa em anúncio na internet. Foto: Getty Images.
  • 'Serviço' apareceu em anúncio do Google

  • Mulher que aplicou golpe chegou a pedir R$ 20 mil

  • Vítima foi alertada por parentes

Uma jovem secretária, de 22 anos, registrou um boletim de ocorrência por estelionato após ser cobrada R$ 7.050 em uma consulta de tarô para “retirar maldições” contra ela e sua família.

O valor teria que ser enviado em três depósitos. A vítima foi atrás do serviço por temer a ação de duas pessoas que diziam que ela e a família morreriam, caso o trabalho não fosse concluído. Ela procurou a delegacia após ser alertada por familiares que estaria sendo enganada.

As consultas foram feitas entre os dias 20 e 22 de outubro em Santos (SP). Oboletim de ocorrência por estelionato foi registrado no último sábado (23) no 7º DP (Distrito Policial) da cidade.

A jovem relatou que encontrou o serviço em um anúncio do Google, no qual uma mulher se apresentava como bruxa e especialista em trabalhos de "amarração amorosa, quebra de demanda e afastamento de rival", "com bruxaria e magia negra" para quem "cansou de ser enganado".

Em sua descrição, ela afirma que realiza atendimentos presenciais ou via WhatsApp e que o valor da consulta começa em R$ 50. A vítima disse que pagou o valor mínimo para a primeira consulta, mas que foi coagida a fazer mais transferências para pagar por “trabalhos” para quebrar “maldições”. Ela então enviou R$ 2 mil para a suposta bruxa.

A suspeita então afirmou que precisaria de um novo depósito, no valor de R$ 20 mil. Afirmando que não tinha a quantia, a secretária depositou mais R$ 5 mil. No entanto, a mulher seguiu pressionando a jovem, dizendo que sua família morreria caso o “trabalho” não fosse desfeito.

Enquanto tentava juntar o dinheiro necessário, ela foi abordada, conforme contou à Polícia, por um homem que dizia ser pai de santo e que poderia “limpar” a jovem e seus familiares, em troca de mais dinheiro. A secretária chegou a pedir empréstimos aos parentes, até ser alertada pelo irmão e uma cunhada que tudo poderia ser um golpe.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos