Jovem é morto por PMS em comunidade no Rio; família diz que ele era autista

Reprodução/Redes sociais

Um adolescente de 15 anos foi morto por policiais militares na noite do domingo passado (6) na comunidade da Chacrinha, no Rio de Janeiro. A Polícia Militar diz que Allan dos Santos Gomes tinha participação no tráfico de drogas. A família rebate a versão e diz que o garoto era autista. O caso está sendo investigado.

Leia mais:
Brasil registra mais de 90 mil acidentes com escorpiões em 2018

Segundo a polícia, Allan e outros dois homens teriam atirado contra os PMs durante uma incursão na comunidade. Os outros dois rapazes, Alex Mateus Pereira Barreto da Silva e Wallace Ferreira da Silva, também foram baleados e mortos.

Familiares de Allan divulgaram vídeos nas redes sociais em defesa do adolescente. A irmã da vítima, Rayssa Santos, afirma que os policiais colocaram a arma na mão do jovem para que ele fosse identificado como bandido.

“Estão dizendo que ele era bandido. Ele não era bandido. Sem contar que meu irmão ainda era autista e tinha problemas. Era uma criança. Um bobo que chorava por tudo (…) Tiraram a blusa do meu irmão e colocaram uma arma na mão dele para dizer que ele era bandido”, contou.

A assessoria de comunicação do governador Wilson Witzel informou que ele “confia nas autoridades que estão conduzindo a investigação e na elucidação do caso”.