Jovem é suspeito de ter ateado fogo na namorada por causa de tatuagem com nome do ex

Reprodução/Facebook

A Polícia Civil investiga o envolvimento de um rapaz, de 26 anos, num incêndio que queimou mais de 80% do corpo da namorada, Bruna Jenifer Cirilo, de 21. Ela está internada em estado grave.

O ataque aconteceu na casa em que os dois moravam, em Itanhaém, no litoral de São Paulo. A polícia acredita que uma tatuagem pode ter motivado a agressão.

Bruna morava há cerca de quatro meses na cidade, para onde se mudou com um antigo namorado. Ela descobriu posteriormente que ele tinha envolvimento com o tráfico de drogas e era procurado pela polícia – o nome dele estava tatuado no peito da vítima. O rapaz foi preso dias depois.

Bruna, então, se envolveu com o rapaz suspeito de provocar o incêndio. Segundo boletim de ocorrência, o casal já havia se desentendido porque, apesar do rapaz permanecer preso, ela ainda mantinha contato com ele por Whatsapp.

Ao chegar ao local do incêndio, bombeiros encontraram Bruna, ainda em chamas, na calçada, sendo ajudada pelo companheiro e vizinhos. Um bombeiro tentou socorrê-la, mas foi agredido pelo rapaz, que foi detido.

Bruna perdeu um dos seios e corre o risco de ter um braço amputado. Segundo a polícia, o rapaz foi detido e acabou sendo liberado em seguida – ele negou ser o autor do crime. De acordo com a versão apresentada por ele, Bruna estava deitada com uma manta térmica, quando tentou acender um cigarro perto de um galão com gasolina guardado na casa e houve combustão.

A mãe de Bruna disse que o rapaz não aceitava a tatuagem que ela tinha no peito, com o nome do ex, motivo pelo qual ela já teria apanhado. (Com informações do G1).