Jovem fica cega ao colocar lentes de contato com as mãos molhadas

Reprodução/Twitter/@reenwilson

Quando seus olhos começaram a coçar, em uma manhã de janeiro de 2011, a jovem Irene Ekkehis imaginou que estivesse apenas com uma irritação e foi à farmácia para comprar um colírio simples, mas na verdade ela estava prestes a ficar cega.

“Pensei que estava com uma pequena infecção e que melhoraria em poucos dias. Mas naquela noite não consegui nem entrar na cozinha, a luz fluorescente parecia brilhante demais. Esta com muita dor”, afirmou ela em entrevista à BBC.

Como a dor não cessava, ela decidiu ir a um hospital em Londres. Lá os médicos fizeram uma raspagem córnea, um procedimento que envolve a retirada de células da superfície do globo ocular para análise.

Só a partir daí é que ela foi diagnosticada com ceratite amebiana, uma infecção ocular rara causada pelo parasita Acanthamoeba keratitis, encontrado com frequência na água da torneira, do mar e de piscinas. Fiquei chocada e com medo, visto que já tinha perdido a visão do olho direito, disse Irene.

A doença foi descoberta recentemente e no Brasil, os primeiros casos foram registrados em 1988. Ela é mais comum em pessoas que usam lentes de contato, como a jovem inglesa.

“Não tomei banho ou nadei com as lentes. Então a única alternativa para ter contraído essa infecção é não secar bem as mãos antes de mexer nas minhas lentes de contato”, finalizou Irene.

Com informações da BBC.