Jovem morto em Paraisópolis foi comemorar aniversário

ALFREDO HENRIQUE
SÃO PAULO, SP, 01.12.2019: PARAISÓPOLIS-SP - Moradores de Paraisópolis realizam uma manifestação contra a violência da Polícia Militar. O baile funk onde morreram nove pessoas pisoteadas nesta madrugada (1), mais conhecido pela sigla

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Bruno Gabriel dos Santos, 22 anos, um dos mortos em ação da PM no baile funk de Paraisópolis, no domingo (1º), tinha ido ao pancadão comemorar seu aniversário. 

Segundo a irmã, a professora Vanine Cristiane Siqueiras, 39 anos, Bruno fez 22 anos no último dia 28, mas resolveu comemorar com os amigos na noite de sábado (30).  "Ele pegou as coisinhas dele e falou que ia passar a noite com os amigos, comer uma pizza e para comemorar o aniversário", contou, bastante emocionada, após deixar o 89º DP (Morumbi), na manhã desta segunda (2).

Vanine conta que os amigos de Bruno avisaram a família que ele havia ficado ferido após a confusão no baile funk. Segundo eles, o jovem teria corrido para o lado oposto ao do grupo de amigos durante a confusão.

A professora também contesta a versão da polícia de que o jovem teria morrido pisoteado. Ela disse ter visto imagens dele caído no chão e seu corpo não apresentava sinais de pisoteamento. Ela disse ainda que a família está bastante abalada, pois Bruno foi adotado por eles ainda pequeno e eles moravam em Mogi das Cruzes (Grande São Paulo). "Ele era uma pessoa tranquila. Agora [a polícia] precisa saber o que aconteceu. Queremos justiça", desabafou.