Jovem perde parte da panturrilha após picada de mosquito

Após picada de mosquito, jovem precisou de cinco biópsias para saber que se tratava de um mosquito-palha, transmissor da leishmaniose (Foto: Getty Images)
Após picada de mosquito, jovem precisou de cinco biópsias para saber que se tratava de um mosquito-palha, transmissor da leishmaniose (Foto: Getty Images)

Resumo da notícia

  • Adolescente foi picada por mosquito-palha e perdeu 30% da panturrilha

  • Maria Clara foi picada por um mosquito durante atividade na escola

  • Mosquito-palha é transmissor da leishmaniose

Uma adolescente de 14 anos perdeu 30% da panturrilha esquerda após ser picada por um mosquito. Segundo informações do portal Uol, Maria Clara Oliveira Nogueira participava de uma atividade na parte de fora da escola quando foi picada por um inseto. Ela passou 49 dias internada.

Maria Clara foi picada em 14 de fevereiro e, duas semanas depois, teve de ser internada. O ferimento na perna não melhorava e parecia infeccionado. Mais tarde, só após cinco biópsias, a família da jovem soube que ela havia sido picada por um mosquito-palha, transmissor da leishmaniose.

Ao Uol, a mãe de Maria Clara, Fabiana Oliveira Borin, contou que a adolescente participava de uma atividade ao ar livre na escola quando tudo aconteceu. A jovem é aluna da Escola Estadual Doutor Mário Toledo de Moraes, no município de Caieiras (SP). No local, o mato estava alto e ia até o joelho da menina.

Logo após ser picada, ela foi levada ao Hospital de Laranjeiras, onde fez drenagens e recebeu indicações de medicações. Duas semanas depois, o médico optou por internar Maria Clara. Ele explicou à família que a jovem tinha uma bactéria e que seria “resistente”, e ainda informou que ela corria o risco de perder a perna.

“Minha filha gritava de dor e diversas vezes precisou tomar morfina. Não aguentando mais tanta dor, ela chegou a pedir para morrer, porque não tinha mais forças”, contou a mãe ao Uol. Só um mês depois a família soube que a picada era de um mosquito-palha.

Maria Clara teve de passar por dois procedimentos cirúrgicos para tirar necroses da perna e ficou dois ficar na UTI. A adolescente ainda está de repouso e não pôde voltar à escola. Atualmente, ela sai de casa para ir ao pronto-socorro para fazer os curativos.

Em nota, a Secretaria de Educação lamentou o caso e disse que está prestando assistência à família. “A apuração para identificar as causas do ocorrido está em andamento. A unidade, que fica localizada próxima a uma mata nativa, passa todo início de ano por processos de limpeza de caixa de água, bebedouros, troca de filtros, dedetização e desratização e, por precaução, a unidade realizou uma nova dedetização no dia 23/03”, informou a pasta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos