Jovem que matou colega a facadas em Niterói ficou indignado após vítima ter dito que queria ser apenas sua amiga

·3 minuto de leitura

RIO - Uma amiga da jovem VitóryaMelissa Motta, de 22 anos, morta a facadas dentro de um shopping em Niterói, naRegião Metropolitana do Rio, relatou à Polícia Civil detalhes da relação entrea vítima e Matheus dos Santos da Silva, acusado de ter cometido o crime. Atestemunha, Ana Franciane de Oliveira, era colega de turma de Vitórya e Matheusno Curso Técnico de Enfermagem no Senac. O rapaz foi preso em flagrante naúltima quarta-feira, acusado de feminicídio.

Reflexão: 'Estamos vivendo ou só correndo?', diz último post de vítima defeminicídio em shopping de Niterói

Em depoimento aospoliciais da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), ao qualo GLOBO teve acesso, Ana contou Matheus tinhase declarado para Vitórya, mas a jovem disse ao colega que a relação entreambos era apenas de amizade. A testemunha também relatou que recentemente avítima tinha decidido se afastar de Matheus para não dar a ele qualqueresperança, o que teria provocado a ira do rapaz.

Ana disse ainda que conversoucom Matheus, a pedido de Vitórya, com a intenção de confortá-lo. No entanto,ele mostrou indignação com o comportamento da vítima e afirmou estar sendodesrespeitado por ela. Para a testemunha, Matheus cometeu o crime porque avítima não estava correspondendo seus sentimentos.

Manifestação após morte:'Realidade cansativa', diz organizadora de protesto contrafeminicídios

Ainda segundo Ana,Vitórya era a única amiga de Matheus no curso técnico. Segundo ela, o rapaz erabastante introvertido e só tinha relação próxima com a vítima. A jovem complementou que Matheus apresentavasérias dificuldades comunicando-se pessoalmente, se expressando em tom de voztão baixo que era difícil compreendê-lo. No entanto, por WhatsApp, ele seexpressava muito bem.

No dia do crime, Matheus,Vitórya e Ana estiveram juntos, pela manhã, no curso técnico. À tarde, os três participariamde um grupo de estudos com outras duas amigas. Vitórya acabou optando por nãoparticipar e foi até o Shopping Bay Market encontrar outros colegas do curso.Sabendo que a vítima não iria mais, Matheus também desistiu. A jovem foi mortaa facadas em outro shopping de Niterói, o Plaza, onde se encontrou com oacusado.

Durante audiência decustódia realizada na sexta-feira, Matheus teve a prisão em flagranteconvertida em preventiva.

“A gravidade da conduta é extremamente acentuada, já que ocustodiado tirou a vida da própria amiga por quem, segundo informações dosautos, nutria sentimentos não correspondidos. Diversos são os casos deviolência doméstica e feminicídio em que há a mesma motivação e, nos presentesautos, novamente, uma mulher teve a sua vida interrompida pelo comportamento doora custodiado, que não aceitava a suposta rejeição. Além disso, a crueldade eousadia da ação indicam a mais absoluta inadequação do custodiado ao convíviosocial, já que matou a vítima a facadas, golpeando diversas vezes o seu corpojá caído ao chão, na praça de alimentação shopping, em horário de grandemovimento de pessoas, conduta que somente foi cessada após a intervenção de umatestemunha”, escreveu a juíza Rachel Assed da Cunha em sua decisão.

Vitórya foi esfaqueada por Matheus na praça dealimentação do Plaza Shopping, na tarde da última quarta-feira. Segundotestemunhas, ambos estavam sentados em uma mesa quando a vítima teria gritado “não”.Nesse momento, o acusado teria colocado a mão em seu ombro para evitar que elalevantasse, tirou uma faca da bolsa e golpeou a vítima. O rapaz fio contido porum homem e imobilizado. Na delegacia, ele permaneceu em silêncio e não quisprestar depoimento.