Jovem que tatuou nome no rosto da ex-namorada vai para presídio

Suspeito tatuou seu nome no rosto da ex-namorada. Foto: Getty Images.
Suspeito tatuou seu nome no rosto da ex-namorada. Foto: Getty Images.
  • Ele foi encaminhado ao CDC de Tatuapé

  • Audiência de custódia decidiu manter prisão preventiva

  • Ele tatuou seu nome no rosto da jovem

O jovem de 20 anos preso por suspeita de tatuar o rosto da ex-namorada, em Taubaté, no interior de São Paulo, foi transferido para o CDP de Taubaté, após uma audiência de custódia decidiu por manter a prisão preventiva, neste domingo (22).

A mãe da jovem fez um boletim de ocorrência no último sábado (21), depois de a filha ficar desaparecida por um dia e ser encontrada com o nome do suspeito tatuado no rosto. As informações são do portal G1.

Ele foi detido por descumprimento de uma medida protetiva que o obrigava a ficar afastado da ex-namorada.

A mãe, Deborah Velloso, afirmou que a filha tinha duas medidas protetivas contra o ex, a primeira de 2021 e outra deste ano. À polícia, ela relatou que a filha saiu para um curso na sexta-feira (20) e não deu mais notícias. Desconfiada, ele foi até a rua onde o suspeito mora e viu a filha no carro dele. Quando ela voltou para casa, estava com a tatuagem no rosto e apresentava hematomas.

A mãe contou também que constantemente pedia que o jovem aceitasse o fim da relação.

Na troca de mensagens, Deborah tenta dissuadir o ex-genro da ideia de tentar retomar o relacionamento com a filha. Em resposta, o rapaz pediu para que Deborah parasse de lhe enviar mensagens. Ele ainda alegou que nada que ela falasse o faria mudar de ideia.

Em um outro momento da conversa, Deborah súplica ao jovem para se afastar da filha e explica que ele pode ser preso. Mas, mais uma vez o jovem reluta e declara que não há nada que pese contra ele. Entretanto, em outro trecho, ele confessa já ter batido muito na ex-namorada.

Velloso afirma ter medo de que o rapaz seja colocado em liberdade e mate a filha . Isso porque o jovem deve passar por uma audiência de custódia ainda neste domingo (22). A mãe argumenta que ele não pode ficar solto porque seria uma impunidade.

O caso será investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Taubaté a partir de segunda-feira (23).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos