Jovem que teve pai assassinado pelo namorado desabafa: “Se for solto, vai me matar”

Kênnia teve o pai assassinado pelo namorado - Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Kênnia teve o pai assassinado pelo namorado - Foto: Reprodução/TV Anhanguera
  • Pai de Kênnia foi assassinado a tiros pelo namorado dela na própria farmácia em Goiânia

  • Jovem acredita que o criminoso vai atrás dela para matá-la se deixar a cadeia

  • A mulher manifestou a sensação de insegurança e revolta após o crime

A jovem cujo pai foi assassinado a tiros pelo namorado teme que, agora, ela seja a próxima vítima do rapaz. Kênnia Yanka Silva Leão, de 26 anos, acredita que Felipe Gabriel Jardim Gonçalves vai executá-la se deixar a prisão.

O pai de Kênnia, João do Rosário Leão, foi morto a tiros por Felipe na última segunda-feira (27), dentro da própria farmácia, em Goiânia. Uma câmera de segurança do estabelecimento flagrou o momento em que o homem de 63 anos é repetidas vezes baleado pelo genro.

Felipe foi preso na noite da última quarta-feira (29) e segue detido na capital goiana. Mesmo assim, Kênnia teme pela própria vida.

“Se ele for solto, vai me matar”, declarou em entrevista ao portal Metrópoles. “Ele vai vir atrás de mim. Na cabeça dele, não tem nada a perder. Ele vai esperar habeas corpus para vir atrás de mim para me matar. Eu vou ter que me esconder de novo quando ele for solto.”

O criminoso foi encontrado pela polícia após 60 horas de busca. Ele estava escondido pela própria mãe em uma residência na região do Conjunto Riviera, zona nobre de Goiânia.

“Tenho muita revolta, porque ela agora tem um filho vivo, mas eu não tenho mais meu pai vivo. Ela pensou só em proteger o filho assassino dela”, comentou Kênnia.

Entenda o crime

Felipe matou João do Rosário a tiros dentro da farmácia do sogro. Uma câmera de segurança no estabelecimento registrou o momento do assassinato.

Após o crime, o rapaz chegou a enviar uma mensagem à namorada, Kênia Yanka, avisando que havia matado o sogro e que a próxima seria ela.

Felipe e Kênia namoravam há um ano, mas o relacionamento era marcado por violência e ameaças. A jovem relatou que só não havia deixado o rapaz por medo.

"Minha mãe sentia. Ela falava: ‘Por favor, minha filha, larga esse homem’. Só que eu não conseguia porque tinha medo dele", contou.

No dia anterior ao crime, houve um briga e o rapaz atirou para cima, antes de apontar a arma para a namorada, motivo pelo qual o pai dela registrou boletim de ocorrência contra ele por ameaça.

Felipe tomou conhecimento do registro e, por isso, matou o sogro a tiros, de acordo com a Polícia Civil. Irmã de Yanka, Kênia Bianka estava no local e viu o pai sendo assassinado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos