Jovens morrem após ataque a tiros na zona sul de São Paulo

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Três jovens, com idades entre 16 e 25 anos, foram mortos a tiros, na noite deste sábado na favela do Alba, na região do Jabaquara (zona sul da capital paulista), de acordo com a Polícia Civil. Ninguém havia sido preso até a publicação desta reportagem.

A capital vive uma onda de roubos seguidos de morte, que aumentaram em 22% comparando as 31 vítimas de latrocínio de janeiro a agosto deste ano, com o mesmo período do ano passado. A zona sul da cidade registrou, nos sete primeiros meses de 2021, mais da metade dos assaltos em que vítimas são assassinadas na cidade.

Segundo registros do 35º DP (Jabaquara), testemunhas afirmaram que os rapazes de 16, 17 e 25 anos, cujos nomes não foram informados, estavam em uma viela da comunidade quando um criminoso, em uma moto, passou pelo local atirando. Ele fugiu em seguida.

Um vídeo feito com celular, enviado à reportagem pela Polícia Civil, mostra os jovens caídos na viela, após o ataque. Pessoas ao redor gritam que eles foram mortos por um motociclista, que usava um capacete vermelho.

As vítimas foram encaminhadas ao hospital Saboya, de acordo com a polícia, mas acabaram morrendo na unidade de saúde.

O caso foi registrado como triplo homicídio pelo DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa), que assumiu as investigações da ocorrência. A motivação para o crime é apurada pelo departamento policial, assim como a identidade do atirador.

Entre quarta-feira (22) e a noite deste sábado, ao menos oito pessoas foram mortas em ações criminosos diferentes, na Grande SP, no litoral e na capital paulista.

Uma adolescente de 17 anos e um pedreiro de 44 anos morreram após serem baleados em um assalto, por volta das 19h10 de sexta-feira (24), segundo a Polícia Militar, em Itanhaém (106 km de SP). A SSP (Secretaria da Segurança Pública) afirmou que a PM, durante uma ronda, prendeu duas mulheres, de 20 e 26 anos, dois homens, de 22 e 27, além de apreender um adolescente de 16 anos. Eles estavam em uma pousada da região.

Uma mulher de 41 anos, mãe da estudante de 17 anos assassinada durante o roubo, também foi atingida por tiros, da mesma forma que sua filha mais nova, de 12 anos. Ambas permaneciam internadas, segundo a Secretaria de Comunicação de Itanhaém, até a publicação deste texto.

Na quinta-feira (23), o programador Renato Nunes Consentino, 40 anos, se apresentou à Polícia Civil de Mairiporã (Grande SP), suspeito de matar três pessoas de uma mesma família a facadas, na madrugada do dia anterior, na zona rural da cidade.

A motivação para o crime seria problemas de vizinhança com as vítimas, todas do mesmo núcleo familiar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos