Juíza determina transferência para regime semiaberto do ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho

·1 min de leitura

RIO — Depois de ter o pedido de habeas corpus negado pelo Tribunal de Justiça do Rio, na manhã desta sexta-feira, o ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, sofreu novo revés na parte da tarde. A juíza Daniele Lima Pires Barbosa, da Central de Custódia, determinou que o ex-vereador acusado de fundar a maior milícia do estado siga preso. Também por decisão da magistrada, Jerominho será transferido para uma unidade destinada a presos do regime semiaberto.


Sobre o argumento da defesa de o ex-vereador já ter cumprido pena no processo da 42ª Vara Criminal, a juíza afirmou que essa análise cabe à juíza que decretou a prisão de Jerominho, Alessandra Bilac. De acordo com a magistrada, a audiência de custódia, nos casos de mandado de prisão, servem apenas para analisar se houve ilegalidade durante o cumprimento do mesmo.


Jerominho foi preso na tarde de quinta-feira por policiais da Polinter. Ele estava solto desde outubro de 2018. Na ocasião, o ex-vereador conseguiu liberdade após ser absolvido do último processo respondido por ele.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos