Juíza mantém prisão de filhos e neta de Flordelis acusados de envolvimento na morte de pastor

Carolina Heringer
·2 minuto de leitura

RIO - A juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, manteve a prisão de cinco filhos e uma neta da deputada federal Flordelis dos Santos de Souza acusados de envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo. A reavaliação das prisões foi feita para cumprir regra do artigo 316 do Código de Processo Penal (CPP), que determina a necessidade de revisão da manutenção da prisão a cada 90 dias.

Foram mantidas as prisões preventivas de Marzy Teixeira da Silva, André Luiz de Oliveira, Carlos Ubiraci Francisco da Silva. Simone dos Santos Rodrigues, Flávio dos Santos Rodrigues e Rayane dos Santos Oliveira. Os cinco primeiros são filho de Flordelis e apenas Rayane, neta.

A magistrada também manteve a prisão de Adriano dos Santos Rodrigues, filho de Flordelis, acusado de envolvimento na fraude de uma carta produzida para atrapalhar as investigações do caso, e do PM Marcos Siqueira e sua mulher, Andrea Santos Maia, também acusados de participarem da fraude da correspondência. Na decisão, Nearis dos Santos afirma que estão mantidos os motivos que levaram à decretação da prisão dos réus.

Todos os réus, exceto Flávio e Marcos, estão presos desde 24 de agosto do ano passado, quando foi concluída a segunda fase das investigações sobre a morte de Anderson do Carmo. Na primeira fase, em junho de 2019, foram presos Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cézar dos Santos.

Lucas também continua atrás das grades, mas não teve a prisão decretada no segundo processo do caso, por isso não passou por reavaliação. Apesar de também ser ré no processo, acusada de ser mandante da morte do marido, Flordelis não teve a prisão pedida à Justiça por possuir imunidade parlamentar.

Marcos Siqueira está preso desde 2005, acusado de participar da chacina da Baixada Fluminense, que deixou 29 mortos