Juíza sinaliza disposição para nomear perito especial em caso de buscas na casa de Trump

Ex-presidente dos EUA Donald Trump

Por Francisco Alvarado e Sarah N. Lynch

(Reuters) - Uma juíza federal pareceu simpática nesta quinta-feira ao pedido do ex-presidente norte-americano Donald Trump de nomear um perito especial para revisar os documentos que o FBI apreendeu em sua residência em agosto, embora ela tenha se recusado a emitir uma decisão imediata sobre o assunto.

Em uma audiência em West Palm Beach, a juíza distrital Aileen Cannon pressionou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos sobre sua oposição à nomeação de um perito especial --uma terceira parte independente nomeada em certas ocasiões por um tribunal em casos sensíveis para revisar materiais potencialmente protegidos pelo privilégio advogado-cliente para garantir que os investigadores não os acessem de maneira indevida.

"Em última análise, qual é o mal de nomear um perito especial para revisar esses materiais?" perguntou Cannon, que foi indicada ao cargo por Trump.

"O que estou querendo saber do governo é: qual é o mal além de atrasar a investigação?"

Ela também sugeriu que poderia criar uma exceção que permitiria que autoridades de Inteligência dos EUA continuassem conduzindo sua avaliação de danos à segurança nacional até a nomeação do perito especial antes que a investigação criminal possa continuar.