Juízes franceses querem tirar imunidade de Le Pen, adicionando problemas à campanha presidencial

PARIS (Reuters) - Os juízes franceses pediram a suspensão da imunidade parlamentar da líder de extrema-direita Marine Le Pen, no mais recente revés na campanha eleitoral presidencial, na qual a participação da candidata no decisivo segundo turno não está mais assegurada.

Os juízes estão investigando o suposto uso indevido de fundos da União Europeia por Le Pen, que é membro do Parlamento Europeu, para pagar assessores do partido. O pedido dos juízes foi assinado em 29 de março, mas foi revelado somente nesta sexta-feira. Uma fonte confirmou a Reuters.

Mesmo antes da última reviravolta em seus problemas legais, um desempenho sem brilho em debates televisivos, uma campanha que foi mais focada em seus principais rivais e um passo em falso sobre o papel da França na Segunda Guerra Mundial reduziram as intenções de votos na candidata, apontaram pesquisas de opinião.

Embora as pesquisas ainda coloquem Le Pen em primeiro ou segundo lugar no primeiro turno de votação em 23 de abril, seus três principais rivais já estão próximos o suficiente para que qualquer dos quatros candidatos possam passar para o segundo turno, em 7 de maio.

(Por Ingrid Malander e Simon Carraud)